Ticket

GUERRA DE GIGANTES: HBO Max, Netflix, Apple TV+, Disney Plus, ou Amazon Prime?


  • Escrito por

  • Publicado em 12 de fevereiro de 2020

Há não muito tempo, apenas existia uma opção de streaming que dominava a mente de todos os consumidores deste tipo de serviço, que inclusive, tinha uma demanda muito menor quando comparado à TV paga. Mas nós não vivemos mais em 2012 e quase dez anos se passaram. Não me surpreende se você, ao sentar-se no seu confortável sofá em uma sexta-feira à noite, ficou confuso e até mesmo frustrado por ter tantas opções de streaming, inúmeras horas de conteúdo (que você nunca vai conseguir assistir em apenas uma vida), e tanta gente querendo seu dinheiro, jogando na sua cara “planos de assinatura” mensais. O que fazer? Qual escolher? O que está acontecendo? HELP!!!!

 

Eu sei, pode parecer confuso, talvez até desnecessário, mas eu vou provar pra você como a sua vida e o jeito que você consome conteúdo vai mudar radicalmente nos próximos anos (mais do que já mudou!). Então, quando o dia chegar, você não precisará ficar divido e furioso por conta de ter tantas opções e pouco dinheiro (e horas).

 

Primeiro é importante entender que a TV paga está morrendo. Sim! Talvez ela não desapareça totalmente, mas nos próximos anos podemos esperar uma grave diminuição da demanda pelo serviço. Hoje, em 2020, as pessoas passam inúmeras horas consumindo conteúdo pelo seus smartphones, notebooks, tablets, etc. coisa que você provavelmente já sabe! Mas espera, como assim a TV paga está morrendo? Deixa-me te explicar. De acordo com números divulgados, as horas de consumo da TV paga cresceu, mas não é o que parece. 86% por cento de pessoas assinantes , não assistem TV, apenas a deixam ligada enquanto consomem conteúdo de outras plataformas (Youtube, Netflix, Amazon Prime, etc.). Seja por hábito e/ou vício, ou seja porquê você ainda tem aquela avó que assisti a novela das 6 (que em breve será transferida para o GloboPlay), a TV paga morreu há muito tempo.

Agora, imagina! O preço do Netflix está quase na casa dos R$50,00, Amazon Prime ainda é acessível para a maioria, Apple TV+ também mantêm um preço baixo (porquê ainda não se popularizou tanto), mas, imagina pagar por todos esses serviços + sua internet, mensalmente? Você pode até mesmo dizer que não quer ou que não vai pagar, mas as propagandas, redes sociais e conteúdos originais de cada um desses serviços, com toda certeza, acabará te laçando no futuro e quando você menos esperar, terá tantas assinaturas mensais que perderá a conta! E aí? Ainda vai querer gastar em média de R$200 reais em uma assinatura da TV paga, que apenas passa os mesmos filmes repetidos? Acho que não….

O hábito de consumo é algo extraordinário e curioso. Em pensar que há oito anos atrás, nem mesmo existia Amazon Prime aqui no brasil. Toda essa prática de assinar uma rede de streaming e receber conteúdo ilimitado para ser acessado em todo meio tecnológico possível, ainda é uma ideia nova. Mesmo sendo uma prática de consumo “nova”, ainda sim, é extremamente relevante para a sociedade atual, sendo que “apenas existe” há oito anos no meio massificado. Imagina nos próximos oito anos o quanto tudo vai mudar?

Não podemos falar sobre Streaming e conteúdo online, sem primeiro falarmos sobre o Youtube, a gigante que começou tudo isso. O Youtube divulgou que a cada uma hora, são adicionados 30 mil horas de conteúdo na plataforma. “Mas, tanto conteúdo assim é impossível de assistir” para uma pessoa só é, mas essa é a graça do mundo em que vivemos. Nada, nunca é para todo mundo. Existe uma variedade infinita conteúdo que são postados na gigantesca plataforma de vídeos, que logicamente, são distribuídos para diferentes pessoas, com diferentes interesses e gostos. “E o que tudo isso tem a ver com os serviços de Streaming?” Tudo!

Se, ao cessar o Youtube, você visualiza vídeos que são relacionados ao seu interesse, os streamings no mercado seguem este mesmo padrão. Cada streaming (Amazon, Netflix, Disney Plus, etc.) atende a necessidade de um público diferente, e talvez você seja eclético e queira assinar todos, mas logo irá perceber que sempre acessará um deles mais do que os outros. Claro! Todos esses serviços querem fazer você pensar que é o mais exclusivo, o mais original e o melhor pra você, mas isso é porque eles querem o seu dinheiro, e ao olhar dentre linhas, percebemos o quão distintos são um do outro.

Começando pela Netflix, pioneira neste ramo, acompanhamos toda sua evolução, desde seu começo humilde até agora, onde existem infinitos títulos originais de variados assuntos e qualidade, o que atrai uma parcela maior de pessoas. Quando comparado à Amazon Prime, a Netflix ganha. O serviço de vídeo da Amazon ainda é “pequeno”. Mas os dois serviços têm públicos similares, e a Amazon, como empresa, sabe disso, pois seu preço é baixíssimo e ao assinar o Prime você não assina apenas o streaming de vídeos, sai ainda com mais benefícios dentro do site de compras e o streaming de música da Amazon. Ou seja, Jeff Bezos (criador da Amazon) sabe que não existe a possibilidade de bater de frente com a Netflx (ainda), então como ele procede e se estabelece no mercado? Aceitando o seu lugar como segunda opção entre consumidores, oferecendo serviços integrados dentro da assinatura do streaming e criando promoções atrativas para impulsionar seu produto.

Com a chegada da HBO Max neste ano nos EUA, e ano que vem aqui no Brasil, as coisas mudarão drasticamente. Para quem não sabe, a Warner Bros. É proprietária da HBO, CW, Cartoon Network, TBS, entre outras emissoras. Deu pra sentir o quanto a plataforma será gigantesca? ‘Friends’, ‘Supernatural’, todo o conteúdo da DC Comics, ‘Big Bang theory’, e também séries mais antigas como ‘One tree Hill’ e ‘The OC’, serão todos exclusividade da plataforma da HBO Max, sem falar em todo o conteúdo original que será lançado e filmes consagrados (‘Nasce uma estrela’, ‘Harry Potter’, ‘TENET’). Uma loucura né?

Disney Plus é outra gigante que continua crescendo loucamente, mas será que o serviço de streaming terá pernas? Qual é o maior atrativo do Disney plus? A ‘Marvel’, ‘Os Simpsons’, ‘Star Wars’ e a recém adquirida Fox. Aliás, eu não imagino nenhum adulto assinando o streaming para assistir conteúdos infantis 24horas p/ dia. Mesmo que a Disney agora seja proprietária da ‘Fox Entertainmiment Group”, isso não diz muito, pois o público-alvo da Disney é a ‘família’ e amantes de super-heróis. Todo conteúdo “adulto” será reduzido dentro da plataforma, pois não têm haver com a marca (o branding) da empresa.

Dito isso, é fácil perceber o quão distinto todos esses serviços são, mesmo eles te dizendo o contrário. É claro que o marketing de cada um deles vai querer te convencer ser o streaming perfeito para você, mas amigo, a verdade é que perfeição não existe e gosto é gosto.

 

Cal F. (10)

21 anos, escritor, (quase) formado em marketing. Apaixonado por entretenimento e, principalmente, por cinema!

Curta nosso e receba notícias direto na sua timeline.


Tags

HotNews