Pode vir sexto álbum! Harry Judd comenta sobre o futuro de McFly Tuned

Os fãs de McFly já podem acalmar os ânimos e ficar menos preocupados, pois Harry Judd, baterista da banda, finalmente comentou sobre o tão aguardado sexto álbum e sobre o futuro do grupo.

Judd, em entrevista para revista Fabulous do The Sun, admitiu que a banda esteve em segundo planos nos últimos anos desde a formação da McBusted e com os trabalhos pessoais de Danny Jones, Tom Fletcher e Dougie Poynter, além de também comentar sobre a “pressão” dos fãs com a espera de novos trabalhos de McFly.

“Foi um pouco frustrante”, disse Harry. “Nós tínhamos um álbum pronto, mas Tom teve um filho, então fizemos a McBusted e duas turnês com ela. Então eu tive a Lola e quando voltamos para o álbum, ele tinha três anos e não parecia certo”, revelou sobre o tão aguardado álbum 6.

“Os fãs estão compreensivelmente irritados com a gente, mas quando você faz arte, tem que ser perfeito e nós estávamos em fases tão diferentes quando escrevemos e gravamos aquele álbum“. Porém, o baterista afirmou que irão reservar um bom tempo em 2018 para produzir um novo disco, que com sorte pode ser lançado até o fim do próximo ano.

Sobre apressar a execução do trabalho,o músico comentou. “Não há porquê começar escrever na próxima quarta-feira e depois não conseguirmos nos reunir por uma quinzena. Queremos fazer música nova e queremos avançar”.

Apesar deste afastamento do cenário musical, fica claro pelas redes sociais dos garotos que a amizade é forte. Judd não deixou de falar sobre os 14 anos juntos e os tempos difíceis que já enfrentaram. “Passamos por muitas coisas juntos. Eu estive ao lado de Dougie quando ele se afundou no desespero e todos eles me viram quando eu não estava bem e minha ansiedade atrapalhou algumas oportunidades para a banda ou acabou com o clima. Tom é um em um bilhão, muito modesto e a pessoa mais talentosa que eu conheço. Ele nunca para de me surpreender. Mas mesmo com muita criatividade existe uma fase ruim. Ele tem uma capacidade mental muito boa e às vezes isso o testa. Ele está muito mais feliz nos últimos quatro ou cinco anos. Eu o vi sofrer bem mais no início da banda. Dougie é complicado, mas no fundo do coração e da alma, é um cara maravilhoso, o mesmo com Tom e Danny, e é assim que a gente sobrevive, porque eles são pessoas boas. Talentosas e impulsivos, mas bons”.

Apesar de trabalhos pessoais, Harry quer um futuro para a banda, “eu quero continuar no McFly até que eu não consiga mais fazer isso fisicamente. Mas a melhor coisa sobre o meu trabalho é que eu tenho oportunidades que são emocionantes ou aterrorizantes. É uma existência estranha e uma vida estranha, mas eu me sinto muita sortudo”, afirmou.

O baterista ainda fez revelações sobre o seu matrimônio com a violinista Izzy, família, problemas de fertilidade e pessoais. Você pode conferir a entrevista completa em inglês no site do The Sun.

 

Pode vir 2018! Pode vir McFly!

Curta o DMT no Facebook e receba notícias diretamente em sua timeline.

Tags

Escrito por
Postado dia 10 de outubro de 2017

Comentários

DAMMIT.com.br © 2012 - 2014    —    Alguns direitos reservados