Ticket

“Estamos aqui para agradecer ao público brasileiro” afirma John Green em passagem pelo Brasil

John e Nat estiveram no Brasil, nesta semana, e nós contamos tudo que rolou na passagem dos dois pelos país!


  • Escrito por

  • Publicado em 03 de julho de 2015

img-681979-20150630121435678468

John Green e Nat Wolff participaram da coletiva de imprensa para promover seu novo filme Cidades de Papel, na manhã da última quarta-feira, 1°, no Hotel Copacabana Palace. Na trama, Nat interpreta o personagem Quentin Jacobsen, um adolescente que nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman (Cara Delevingne) desde a infância.

Em um noite, Margo invade o quarto de Quentin e o convida a participar de um engenhoso plano de vingança. Eles passam uma noite inesquecível juntos. Porém, no dia seguinte Margo, some misteriosamente e Quentin começa sua jornada para encontrá-la. Wolff já conhece Green de longa data, visto que também trabalhou com o autor no filme A Culpa é das Estrelas, em que interpretou Isaac, o  melhor amigo de Gus (Ansel Elgort).

Na dobradinha, Nat é o protagonista da adaptação e Cidades é o segundo livro do autor que ganhou uma adaptação cinematográfica. O número parece dar boa sorte a dupla – novamente, dois.

Antes do início da coletiva, os dois amigos e colegas de trabalho marcaram presença no photocall e posaram juntos para a imprensa.

COLETIVA

Eles foram recebidos com muitos aplausos por alguns fãs e jornalistas. John agradeceu ao público brasileiro pelo tamanho sucesso que faz por aqui: “Os meus livros nunca fizeram tanto sucesso quanto no Brasil. Nós estamos aqui para agradecer ao público brasileiro. Sou muito grato a todos pelo sucesso dos livros e filmes. Obrigado!

O autor nem acreditava que suas obras fariam tanto sucesso, e disse que respeita todos os livros de ficção irrealista, mas não é o tipo que queria escrever. John afirma que nunca pensou em ser diferente dos outros autores, apenas queria escrever.

Nat confessou que sentiu como se tivesse “ganhado na loteria” ao ser escolhido para interpretar Quentin. “Eu estava muito feliz em ter participado de ‘A culpa é das estrelas’, mas quando fiquei sabendo que fui escolhido para ‘Cidades de Papel’ achei que tinha ganho na loteria!”.

O rapaz já estava confirmado no filme antes mesmo de haver um roteiro. A dobradinha de Nat em mais um adaptação de John também é a celebração de uma grande amizade, que se fortalece a cada dia. “O John é um cara incrível e acabou virando um grande amigo, a presença dele no set de filmagens foi fundamental”, reconheceu o ator.

Nat também revelou que os laços de amizade se estenderam para toda a equipe. “Todos os envolvidos neste projeto se tornaram amigos, os bastidores foram pura união. Durante as filmagens, todo o elenco morou junto, ficávamos o dia inteiro juntos, brincando uns com os outros e jogando vídeo game. Até hoje temos um grupo e nos falamos quase sempre”.

Questionado sobre como surgiu a ideia sobre as cidades de papel, Green disse: “Foi durante uma viagem, com uma namorada, na adolescência. Nós estávamos indo para Dakota do Norte e tinha um lugar no mapa que dizia que havia uma cidade, mas, na verdade, era um campo sem nada. Então, quando cheguei em casa, pesquisei bastante sobre essas cidades e resolvi abordá-las”.

John contou que não ficou com medo da adaptação, pois já conhecia os roteiristas, que são os mesmos de A Culpa. O autor exaltou, mais uma vez, o trabalho da equipe que levou Gus e Hazel para o conhecimento do mundo nas telonas, e também rasgou seda para o atual companheiro, Nat, dizendo que amou tê-lo conhecido.

O atual livro desromantizada o ser humano, mostrando que uma pessoa não é mais do que isso: uma pessoa. Quentin era apaixonado pela ideia que tinha de Margo e isso afetou sua vida, sobre o acontecimento John comenta sobre mudanças: “Para quem leu o livro e sabe do final, no filme é algo um pouco mais feliz. Quentin a idolatra , mas a verdade é que Margo é uma pessoa comum, ela não é nada como ele a vê, é um ser humano e não uma deusa. É isso que o filme passa. E sim, a vidas de outras pessoas influenciam a vida dos outros”, pontuou.

A história fictícia se passa em Orlando e lá está localizada a Disneylândia, um dos parques mais famosos do mundo. Green nasceu e cresceu na cidade e, assim como sua personagem, afirma que aquela é uma cidade de papel, completamente falsa. “As pessoas vão pra lá, vivem o momento e depois voltam para suas vidas reais. Mas a minha vida não, ela era aquilo. Imagina o que é você ir a Disney 30 vezes todos o verões durante 15 anos? Eu odeio a Disney! Odeio a Disney!“, disse. O autor até brincou dizendo que seria estranho se fosse a Disney que quisesse adaptar o seu livro.

Por fim, a coletiva se encerrou com Nat cantando uma ópera (super fofa) de obrigados. John arriscou um pouco o português, também.

 

RED CARPET

Durante a noite, aconteceu a premiére do longa, no centro da cidade do Rio de Janeiro. Muitos fãs já aguardavam John e Nat na grade desde as 6h. Conversamos com alguns deles, que confessaram que haviam matado aula e perdido prova… inclusive eu.

A Editora Intrínseca distribuiu alguns brindes para os fãs que chegavam de todos os lugares: uma garrafa d’água e uma bandana personalizada, botton, marcador de livro, biscoito, um adesivo escrito “Eu Fui” e um cartão postal do filme. Alguns pôsters foram entregues também.

Durante a tarde, enquanto terminavam de montar o red carpet, chegavam fãs de todos lugares, passamos a tarde acompanhado todos eles e registrando cada detalhe. Na parte da noite, voltamos para cobrir o evento. Por volta das 20h, John Green chegou ao local da premiére  e foi recebido com gritos histéricos de centenas de fãs. O autor falou com TODOS, TODOS que estavam presentes, autografou diversos livros e tirou diversas selfies, inclusive uma comigo! (A minha segunda foto com o John, podemos dizer que eu zerei a vida com sucesso ♥)

THANK YOU AGAIN! I LOVE YOU ❤ @johngreenwritesbooks #johngreen #cidadesdepapel

Uma foto publicada por Ana Luiza Ramos (@ramosanaluiza) em


Dessa vocês vão rir: Um morador de rua conseguiu quatro autógrafos do John e disse que iria vender para comprar comida HAHA. O ator Nat Wolff estava cotado para participar da premiére, mas, infelizmente, por conta de uma intoxicação alimentar, não compareceu.

Confira as imagens:

 

John se despede para dar continuação a tour do filme. Cidades de Papel estreia dia 9 de julho nos cinemas de todo o Brasil!

Curta nosso e receba notícias direto na sua timeline.


Tags

Comentários