Ticket

Acabou! “A Esperança – O Final” encerra a saga “Jogos Vorazes” com perfeição

O ultimo filme da franquia estreia no dia 18 de novembro.


  • Escrito por

  • Publicado em 16 de novembro de 2015

The-Hunger-Games-Mockingjay-Part-1-Final-Poster-Wallpaper

Revolução. Provavelmente a palavra mais repetida dentro do universo da saga Jogos Vorazes. Nos livros, nos filmes, nos comentários, nas críticas.

Essa palavra nos acompanhou durante alguns anos e, aos poucos, tomou forma. O que antes era uma expressão, um som, ganhou em março de 2011, há 4 anos, um rosto. Jennifer Lawrence. O símbolo da luta de Katniss Everdeen. O rosto de uma revolução.

E dá para imaginar essa história sendo contada de outra forma? Por outra pessoa? É inegável que um dos grandes trunfos da franquia é o seu elenco, que soube desde o começo balancear nomes de peso com jovens talentos.

Mas não só de um bom elenco se faz uma franquia. O que diferenciou Jogos Vorazes de outras sagas foi sua mensagem política e social. Suzanne Collins apresentou ao público jovem uma ideologia. Ela nos fez questionar e entender a luta de uma sociedade fictícia que tanto se assemelha a nossa realidade atual.

E o final não poderia ser diferente. Assim como em toda luta, decisões são tomadas, sacrifícios são feitos. Em A Esperança – O Final vemos Katniss e seu time de volta a ação, enfrentando armadilhas e bestantes da capital.

O clima de tensão está bem mais perceptível do que na primeira parte do filme, lançada no ano passado. Vemos uma heroína disposta a acabar de vez com toda a dor e sofrimento que o presidente Snow proporcionou ao povo de Panem. Katniss finalmente entende o seu papel e assume sua posição de líder. De tordo.

Os fãs da saga literária não terão do que reclamar. Os momentos mais importantes e mais doloridos do livro estão ali. Sua essência foi mais uma vez muito bem captada, salvo alguns detalhes. E é aí que entraria minha única crítica.

Katniss é amada por vários motivos, mas não por seu carisma. Aprendemos a gostar da personagem por tudo o que ela representa e, nos livros, os momentos em que ele demonstra algum tipo de emoção são sempre muito marcantes. Faltou isso no filme. As mortes foram um tanto frias, apesar de suas cenas antecessoras terem sido carregadas de emoção.

A cena do ataque dos bestantes, por exemplo, foi de tirar o fôlego. A marcha rumo a mansão do Presidente Snow ficou igualmente sensacional. No geral, as sequências de ação de A Esperança – O Final superam a dos outros filmes, até pelo grau de importância das mesmas.

Quem conhece a história sabe que o seu desfecho é chocante. E quem não conhece vai ter a oportunidade de viver esse sentimento pela primeira vez. Torcer, vibrar, se emocionar…

E assim é encerrada a saga que durante todos esses anos foi parte importante das nossas vidas. Mas se serve de consolo, não sentimos o gostinho de um final definitivo. Acreditamos que esse universo ainda tem muito a oferecer. Só nos resta esperar. Com o coração apertado e com muitas saudades.

Obrigada, Jogos Vorazes!

Jogos Vorazes: A Esperança – O Final estreia no dia 18 de novembro.

Curta nosso e receba notícias direto na sua timeline.


Tags

Comentários