Taylor Swift escreve carta aberta sobre fãs, mídia e sociedade no prólogo de “Reputation” Paparazzi

A cantora Taylor Swift lançou no começo dessa semana seu sexto álbum de estúdio, o Reputation. Junto com o CD físico, os fãs internacionais puderam comprar também revistas que contém diversos materiais exclusivos, dentre eles uma carta em forma de prólogo.

Conhecida por sempre escrever textos para os fãs, dessa vez Taylor aproveitou a oportunidade para falar sobre a mídia, a atual sociedade e, obviamente, sua reputação. Confira:

 

Leia abaixo a tradução do prólogo:

“Aqui está uma coisa que aprendi sobre as pessoas.

Nós achamos que conhecemos alguém, mas a verdade é que conhecemos apenas a versão que eles escolhem nos mostrar. Nós conhecemos nossos amigos sob uma certa luz, mas nós não os conhecemos da mesma maneira que seus amores conhecem. Da mesma maneira que seus amores nunca os conhecerão da mesma forma que você conhece como amigo. Suas mães os conhecem de uma maneira diferente que seus companheiros de quarto, que os conhecem diferente de seus colegas de trabalho. Seus admiradores secretos olham para eles e veem um sol elaborado de cores brilhantes e dimensões e espírito e valor inestimável. E, ainda assim, um estranho passará por essa pessoa e verá um membro sem rosto da multidão e nada mais. Podemos ouvir boatos sobre uma pessoa e acreditar que sejam verdadeiros. Talvez um dia conhecemos a pessoa e nos sentimos tolos por acreditar nas fofocas sem fundamento.

Essa é a primeira geração que estará apta a olhar para trás e ter sua vida inteira documentada em fotos na internet e juntos todos nós descobriremos os efeitos colaterais disso. Ultimamente, nós postamos fotos online para saber o que estranhos pensam de nós. Mas então nós acordamos, olhamos no espelho para nossos rostos e vemos as rachaduras, as cicatrizes, as manchas e nos encolhemos. Nós torcemos para que um dia encontremos alguém que vai ver esse mesmo rosto pela manhã e, em vez disso, vai ver seu futuro, seu parceiro, seu ‘para sempre’. Alguém que vai continuar a nos escolher mesmo quando eles tiverem visto todos os lados da história, todos os ângulos do caleidoscópio que você é.

Meu ponto é que apesar da nossa necessidade de simplificar e generalizar absolutamente tudo e todos nessa vida, os seres humanos são intrinsecamente impossíveis de simplificar. Nós nunca somos apenas bons ou maus. Nós somos mosaicos das nossas piores e melhores partes, nossos mais profundos segredos e nossas histórias favoritas de se contar em um jantar, existindo em algum lugar entre a foto de perfil bem iluminada e a foto da carteira de motorista. Nós todos somos uma mistura do nosso egoísmo e da nossa generosidade, da lealdade e da autopreservação, do pragmatismo e da impulsividade. Estou sob olhar público desde que tinha 15 anos de idade. Do lado bonito e amável disso, eu tive muita sorte de viver de música e olhar para multidões de pessoas amáveis e vibrantes. Do outro lado da moeda, meus erros foram usados contra mim, meus corações partidos foram usados como entretenimento e minhas composições foram trivializadas como um ‘excesso de compartilhamento’.

Quando esse álbum sair, blogs de fofoca vão explorar as letras e procurar homens que possam atribuir para cada música, como se a inspiração para música fosse simples e básica como um teste de paternidade. Haverá exposição de slides com fotos endossando cada teoria incorreta porque é 2017 e se você não viu uma foto sobre isso, não pode ter acontecido, certo?

Deixe-me dizer de novo, mais alto para quem está no fundo…

Nós achamos que conhecemos alguém, mas a verdade é que apenas conhecemos a versão que eles escolhem nos mostrar.

Não haverá outra explicação. Haverá apenas reputação.”

 

Tem como não amar essa rainha? Reputation ainda não está disponível para streaming, mas chega às lojas brasileiras no dia 24 de novembro.

Curta o DMT no Facebook e receba notícias diretamente em sua timeline.

Tags

Escrito por
Postado dia 13 de novembro de 2017

Comentários

DAMMIT.com.br © 2012 - 2014    —    Alguns direitos reservados