Paparazzi

Emma Watson faz discurso sobre igualdade no lançamento da campanha #HeForShe

A atriz foi aplaudida de pé na sede das Nações Unidas, em Nova York.


  • Escrito por

  • Publicado em 22 de setembro de 2014

emmainte1

Quando você pensa que não pode amar ainda mais a Emma Watson, ela lança a campanha #HeForShe no UN Women, com um discurso impecável sobre igualdade de gênero. Durante 12 minutos, a atriz falou sobre feminismo, liberdade e igualdade, arrancando aplausos do público em diversos momentos.

Eu acho que é certo que eu receba a mesma quantia que os meus companheiros homens. Eu acho que é certo que eu possa tomar decisões sobre o meu próprio corpo (aplausos)… Eu acho que é certo que mulheres estejam envolvidas na política e nas decisões que vão afetar a minha vida. Eu acho certo que, socialmente, eu receba o mesmo respeito que os homens.

Mas o discurso da Emma foi poderoso e inteligente por outro motivo. Ela conseguiu conquistar a plateia masculina defendendo o direito das mulheres. E como ela fez isso? Sensibilizando os homens pregando a igualdade de gêneros. “Homens, eu gostaria de aproveitar essa oportunidade para lhes estender o convite. Igualdade de gêneros é problema de vocês também”.

Eu vi o papel de “pai” do meu pai sendo menos valorizado pela sociedade, mesmo que eu tenha necessitado da sua presença, quando criança, tanto quanto a da minha mãe. Eu vi homens jovens sofrendo com doenças psicológicas, sem pedir ajuda, por medo de que isso os faça menos homem. Os homens também não possuem o benefício da igualdade.

Emma disse no início do discurso que as mulheres estão escolhendo não serem chamadas de feministas, por causa do estigma errado que o movimento carrega. Então, no meio do discurso, ela defende os homens chamando a atenção para a desigualdade emocional que eles também sofrem. Jogou certo, né?

Mas mesmo já tendo conquistado os dois lados, foi aqui que ela que conseguiu uni-los, alcançando seu objetivo inicial:

Nós não queremos falar sobre os homens serem aprisionados por esteriótipos de gênero, mas eu posso ver que eles são. Quando eles estiverem livres, as coisas vão mudar para as mulheres como uma consequência natural. Se os homens não precisam ser agressivos para serem aceitos, as mulheres não se sentirão obrigadas a serem submissas. Se os homens não precisarem controlar, as mulheres não se sentirão obrigadas a serem controladas. Homens e mulheres, devem se sentir livres para serem sensíveis. Ambos, homens e mulheres deveriam se sentir livres para serem fortes. É a hora de todos nós olharmos os sexos como um todo, em vez de dois conjuntos de ideais opostos.

Clap, clap, clap! Emocionante e extremamente inteligente. E ainda soltou um: “Eu sei que vocês devem estar pensando: ‘Quem é essa garota do Harry Potter e o que ela está fazendo discursando nas Nações Unidas?’. Essa é uma boa pergunta que eu mesma me fiz. Tudo o que sei é que eu me importo com esse problema. E quero torná-lo melhor”.

Como não amar esse ser humano? Assista ao discurso completo abaixo!

Curta nosso e receba notícias direto na sua timeline.


Tags

Comentários