Chris Evans fala sobre ansiedade, terapia e como chegou a recusar interpretar “Capitão América” por medo Paparazzi

Ao pensar em Chris Evans, provavelmente o primeiro personagem que vem à sua cabeça é o Capitão América. O herói da Marvel ficou eternizado pela incrível interpretação do ator, porém, isso quase não chegou a acontecer.

Quem acompanha o ator há algum tempo provavelmente se lembra da época em que ele nem sempre se sentia tão confortável, risonho e a vontade diante das câmeras como se sente atualmente. Aos 36 anos de idade, Chris abriu o jogo sobre os transtornos mentais que enfrentou e diz que recusou o papel algumas vezes.

Através do Twitter, ele relembrou um vídeo que foi postado no YouTube em agosto do ano passado. “Para quem estiver lutando contra a ansiedade, aqui estão alguns conselhos que recebi um tempo atrás”:

 

 

Durante o vídeo, Chris fala que a ideia de aceitar fazer tantos filmes da franquia e ficar preso nesse contrato por diversos anos o apavorava. “Normalmente você faz um desses filmes por vez e se ele alcança o sucesso, sua vida muda. Meu medo era que se o filme fizesse sucesso, se eu tivesse uma mudança radical de vida e não reagisse bem a isso, eu não teria a oportunidade – nem a luxuria – de dizer ‘sabe gente, pra mim já deu’’, explicou e então continuou o desabafo:

“Se o seu estilo de vida é alterado ao ponto em que seu anonimato está comprometido, realmente você não tem mais o direito de reclamar. Então, se alguém da sua família acabar em um hospital e você entrar e sair todos os dias e alguém estiver tirando fotos de você e você se queixar, todos vão dizer: ‘sinto muito, vocês fizeram essa cama, agora dormem nela’ e isso é vergonhoso. É uma decisão que você precisa se preparar para tomar. Não era só sobre mim e isso é assustador. É uma perda de controle assustadora, então eu disse ‘não”.

O ator disse que começou a fazer terapia após receber diversos conselhos dizendo que ele deveria aceitar o papel e isso o ajudou muito. “Tenho ansiedade com certas coisas, com a imprensa, etc e todas essas coisas estão ligadas às responsabilidades da Marvel”, explicou Evans. “E isso começou a mudar em mim. Comecei a sentir que talvez a coisa que mais te assuste seja exatamente a que você precisa fazer. Talvez seja nisso que você precisa se jogar dentro. Isso começou a fazer sentido para mim e eu disse ‘vamos fazer isso!”, contou.

Ao ser perguntando sobre qual conselho daria para sua própria versão de alguns anos atrás, Chris simplesmente respondeu: “Eu diria, Chris, shhhhh”, para calar os ruídos que seu cérebro costumava fazer quando ele estava preocupado ou ansioso ou assustado demais. “O momento em que consegui desligar aquele botão e dizer “Chris, shhhhh”… E isso não é pular fora. Não é desistir. Não é lavar as suas mãos. É lidar com isso, superar. É operar em um plano separado. É muito melhor assim. Eu penso em todo aquele tempo que perdi sofrendo com esses ruídos na minha mente, horas da minha vida desperdiçadas… Apenas shhhhh. Shhhh. Então é isso o que eu diria. Shhhh”, sua resposta foi também um conselho para pessoas que estejam passando por situações parecidas.

Durante sua participação na Ace Comic Con essa semana, perguntaram a ele se interpretar o Capitão América alguma vez o deixou sobrecarregado em qualquer sentido, e ele disse que é completamente o contrário disso. “Não, é maravilhoso. É tão bom. No passado já interpretei personagens que não são tão moralmente bons, onde você precisa estar em um ambiente desagradável de sua própria mente, e você não consegue evitar de pegar um pouco daquilo pra si e se sentir em uma tempestade”, se referiu a papéis que fez em alguns filmes de bastante peso emocional. “Mas interpretando o Capitão é uma energia muito boa que me rodeia todos os dias. Não consigo evitar comparar isso com minha própria vida e encontrar analogias nas circunstancias diárias, onde você pode viver como a pessoa que interpreta todos os dias”, respondeu com evidente carinho.

Chris disse que teria se arrependido eternamente caso tivesse deixado seu medo roubar a oportunidade de estar em uma franquia tão incrível e prova que deixou os dias sombrios no passado quando termina sua resposta declarando amor ao bom e velho Capitão América: “É uma bênção. Eu amo isso”.

 

Curta o DMT no Facebook e receba notícias diretamente em sua timeline.

Tags

Escrito por
Postado dia 16 de janeiro de 2018

Comentários

DAMMIT.com.br © 2012 - 2014    —    Alguns direitos reservados