Não é drama! Precisamos falar sobre saúde mental Cover

mental1

Não é novidade para ninguém que as doenças mentais existem e estão cada dia mais presentes no nosso cotidiano. É normal conhecer alguém que sofre de depressão, transtorno de ansiedade, síndrome do pânico ou alguma variável.

Mas por que as pessoas ainda tratam transtornos de saúde mental como mito?

Recentemente, Selena Gomez cancelou sua turnê (que inclusive, passaria pelo Brasil) devido a alguns problemas de saúde, incluindo transtorno de ansiedade e depressão, efeitos colaterais do tratamento que a cantora faz contra o lúpus: “Descobri que a ansiedade, os ataques de pânico e a depressão podem ser alguns dos efeitos secundários. Eu quero focar na minha saúde e na minha felicidade e, por isso, decidi que o melhor para mim é parar durante algum tempo”.

Os fãs, em sua maioria, apoiaram a cantora. Mas é impressionante a quantidade de pessoas que não acreditam que esses problemas sejam dignos de cuidado e atenção.

Se você está com dor de cabeça, você toma um analgésico. Se você tem uma doença crônica, você vai ao médico, faz um tratamento. Agora, quando falamos da mente, existe todo um estigma. “É frescura”, “Falta do que fazer”, “É só ocupar a cabeça com outras coisas”. Infelizmente, não é assim que funciona.

Há alguns dias, Camila Cabello, do Fifth Harmony, abandonou um show do grupo após uma crise de ansiedade.

“Olá Missouri, me perdoem por não ter conseguido finalizar o show na noite passada… Estava com muita ansiedade e não consegui terminar. Eu amo vocês e verdadeiramente sinto muito”.

Os comentários seguiram a mesma linha, minimizando o problema e encontrando soluções genéricas que não se aplicam ao caso: “Ela precisa descansar”, muita gente comentou. Não, pessoal! Ela tem um transtorno mental e ela precisa de um tratamento médico.

Nós não chegamos a alguém que tem pedra nos rins, por exemplo, e falamos para essa pessoa que ela precisa dormir e descansar. Não faz sentido!

Sim, o estresse muitas vezes está ligado às crises que geram pânico, ansiedade e depressão. Mas por mais que o descanso seja um alívio imediato, não é uma solução a longo prazo.

A sensação de ficar preso dentro da sua mente com todos os medos, tensões e preocupações excessivas é algo desesperador, que só quem já vivenciou, sabe.

Você não consegue dormir, por mais cansado que você esteja. Você não consegue levantar, porque não tem propósito. Você não consegue produzir, porque toda vez que você tenta sair desse limbo, os pensamentos negativos te consomem de volta.

O cansaço mental, se torna físico. Seu corpo reage. Você sente seu rosto queimando, sua cabeça explodindo, coração acelerando. Falta concentração, falta vontade, falta ar…

O pior é que muita gente que passa por isso, acha que é normal. De tanto escutarmos “Dorme que passa”, “Descansa um pouco”, e coisas do tipo, nós passamos a aceitar que é natural se sentir assim, que não é algo que mereça atenção. E é verdade, pode acontecer com qualquer um, vez ou outra.

Ainda mais vivendo constantemente pressionados, em todas as áreas das nossas vidas: escola, trabalho, relacionamentos, etc. Às vezes, a gente explode.

Mas aí é que está o detalhe: às vezes. Se isso é constante, se isso te impede de viver, você tem uma doença. E se você tem uma doença, você precisa de um tratamento. Você não merece passar por isso sozinho. Ninguém merece.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), 33% da população mundial sofre de transtorno de ansiedade. E esses números continuam crescendo de forma insana. Você definitivamente não está sozinho.

Não se sinta mal por isso. Vamos desconstruir esse pensamento de que quem trata da cabeça é ‘louco’, ou dramático, ou culpado. Cuidar da mente é tão importante quanto cuidar do corpo. E você não pode deixar que ninguém minimize sua dor e te diga o contrário.

Curta o DMT no Facebook e receba notícias diretamente em sua timeline.

Tags

Escrito por
Postado dia 05 de setembro de 2016

Comentários

DAMMIT.com.br © 2012 - 2014    —    Alguns direitos reservados