Jennifer Lawrence errou feio: não, não é aceitável ser rude com fãs Cover

Jennifer Lawrence tem 27 anos, é uma atriz extremamente bem sucedida mesmo com sua pouca idade. Venceu o Oscar uma vez, foi indicada em outras três ocasiões, além de colecionar dezenas de outros prêmios.

 

Mas não só por seu talento Jennifer é lembrada. A atriz construiu ao longo dos anos uma imagem acessível, amigável, de “gente como a gente”. O que, obviamente, ajudou com que ela se tornasse a estrela que é hoje.

 

Enough of backstory, vamos ao que interessa: Jennifer Lawrence participou do Actor on Actor, quadro da revista Variety onde um ator entrevista o outro. Seu par foi Adam Sandler. Em dado momento, Adam pergunta como a JLaw lida com a abordagem dos fãs, porque ela parece ser uma pessoa super “leve e acessível”.

 

E esta foi a resposta de Jennifer:

“Geralmente quando eu entro em um lugar público eu me torno incrivelmente rude. Eu viro uma grande babaca. Essa é meio que a única forma que eu tenho de me defender”.

 

Entendo quando ela fala sobre se defender, porque quando você está sendo observado, acompanhado e julgado por estranhos a todo momento, você deve se sentir vulnerável. Ter que conviver com essa impotência e com a alta expectativa que essas pessoas – que não te conhecem – têm sobre você, não deve ser fácil.

 

Mas aí entramos na questão de ser rude com alguém, gratuitamente. Ela demonstra, em seguida, como ela age caso veja alguém indo em direção a sua mesa para abordá-la, fazendo sinal de negativo com a mão, algo do tipo “nem venha”. Ela continua: “Ou quando alguém diz ‘posso tirar uma selfie?’, eu digo ‘não'”, em tom de deboche.

 

Vale ressaltar que se uma pessoa não tem educação e aborda alguém em um momento íntimo, enquanto ela está com a família, ou jantando, ou em um ambiente sem condições para tal, ela está deliberadamente agindo com desrespeito. Logo, ela não tem direito algum de exigir respeito de volta.

 

Nessas situações, eu entendo que uma barreira é quebrada e que ninguém é de ferro. A resposta que você vai conseguir não é a que você espera, só que o único culpado nesse cenário, é você.

 

Mas a Jennifer fez questão de deixar claro que em qualquer situação onde ela é abordada em público, ela age dessa forma. Adam Sandler continua a conversa dizendo que não tem a mesma postura, mas que às vezes, quando se trata de um homem da sua idade pedindo uma selfie, ele diz: “Cara, você não precisa dessa foto. O que você vai fazer com isso?”, em tom de brincadeira. Jenn então prossegue:

 

“Sabe o que eu faço as vezes? Eu digo ‘é minha folga hoje’. Se for um domingo, eu digo ‘é domingo, não estou trabalhando hoje'”.

 

Pode não parecer nada demais apenas lendo em voz alta. Mas assistindo ao vídeo, vendo a forma como ela faz todas essas colocações aparentando um certo desprezo e superioridade, é difícil de engolir. Confira o trecho abaixo!

 

Tenho uma posição diferente da maioria das pessoas quando se trata de celebridades, sejam eles atores, cantores, ou algo similar. Eu realmente não acredito que eles devam algo a alguém. Eles não se tornam propriedade sua uma vez que você consome algo feito por eles. “Assisti a saga inteira de Jogos Vorazes, a Jennifer Lawrence me deve uma foto”. Não funciona assim.

 

As interações que nós temos com as pessoas são muito mais complexas do que isso, então eu entendo o lado deles. Nem sempre é legal, nem sempre o artista está em um bom momento e, sim, deve ser frustrante se sentir como uma mercadoria, sentir que você tem a obrigação de corresponder às expectativas de todo mundo o tempo todo.

 

Mas não existe outra forma de lidar com isso sem tratar mal as pessoas que gostam de você? E ainda se orgulhar do fato? É inaceitável que você aborde alguém com respeito e receba grosseria em troca, em qualquer situação.

 

“Somos pessoas normais”, eles dizem. Mas, espera, se mesmo com as nossas tristezas e frustrações nós não temos passe livre para tratar as pessoas mal na rua, sem sermos taxados de babacas, porque eles teriam? Por que é ok para a Jennifer Lawrence ser rude com os outros na rua e para sua vizinha, Maria, não? É fácil usar o seu privilégio apenas quando te convém.

 

Não é sobre tirar foto, o que eu concordo plenamente que se tornou algo vazio, ainda mais quando esse é o único objetivo da abordagem. É sobre retribuir o carinho de alguma forma. Existem pessoas que realmente só querem falar que curtem seu trabalho, ou ter um contato mais próximo, 20 segundos de conversa fiada.

 

Existem outras personalidades que preferem não tirar foto nas ruas, mas que tem uma abordagem extremamente diferente. Shailene Woodley, por exemplo, diz que prefere criar um memória do que uma imagem vazia: “Eu digo, posso te dar um abraço ao invés de tirar uma foto?”.

 

Ou Emma Watson, que tem uma explicação bastante pertinente para o nível de fama que ela alcançou: “Se alguém tirar uma foto comigo e postar marcando nossa locação, em 10 minutos eu não consigo mais me locomover (…) Eu digo ‘Eu posso sentar aqui e responder todas as suas perguntas sobre Harry Potter, mas não posso tirar uma foto'”. Ela diz também que não tem problema em dar autógrafos, e que com fotos, ela analisa a situação, cada caso é um caso: “Quando eu sou apenas uma celebridade avistada, ou quando vou fazer a semana de alguém? Para crianças por exemplo, eu nunca digo não”.

 

É exatamente isso. Você pode fazer a semana de alguém ou pode arruiná-la completamente pela forma como você a trata. Consideração é a palavra chave. Educação e empatia não têm dia de folga.

 

Curta o DMT no Facebook e receba notícias diretamente em sua timeline.

Tags

Escrito por
Postado dia 01 de dezembro de 2017

Comentários

DAMMIT.com.br © 2012 - 2014    —    Alguns direitos reservados